O espaço entre a vida e os sonhos

 

Antes de eu existir, eu estava flutuando no lindo espaço entre a vida e os sonhos.

Eu estava envolvida por milhões de pensamentos puros… Eu estava sendo criada, eu estava sendo construída. Crescendo, sentindo, me preparando para tudo o que viria pela frente.

Eu sabia que o mundo estava se preparando para mim também, ele estava sendo remoldado para que eu pudesse me tornar uma parte dele. O amor que foi compartilhado por duas outras almas, a paixão, os sentimentos, os atos. Eu senti isso, eu estava quase no tempo de chegar.

Quanto mais próxima eu estava da vida, as memórias da minha existência anterior desapareciam… Eu estava nascendo.

E eu cheguei. Quando eu finalmente abri os olhos, fiquei surpresa. Não era como eu pensei que seria, era tão diferente do lugar que eu estava antes. Aqui tinham luzes, cheiros e eu podia senti-los. Eu vi rostos, eu tinha emoções e uma voz.

Nasci com a pele clara, cabelos negros, face delicada, grandes olhos cor de mel, e uma alma que valia todos os tesouros do universo. Inteligência, gentileza, paixão, talento e arte. Eu fui feita da mesma maneira que todos os outros humanos, mas ainda assim era completamente única.

Eu não sei de onde vem a parte que nos faz tão diferentes entre nós… porque por certo, toda a individualidade foi feita de maneira perfeitamente imperfeita, com defeitos e qualidades, e cada uma delas merece todo o amor do mundo. O físico é só um detalhe, é incrível também, mas o que eu realmente idolatro são as belas mentes e as boas almas, porque por mais que sejamos semelhantes de corpo, a nossa personalidade guarda a nossa maior preciosidade: Quem realmente somos, a nossa essência como indíviduos iluminados.

Texto traduzido e adaptado à partir desse artigo feito pela Aisha.

2a841931edf552f9f8590b4cdce9dede

 

Anúncios

Água com açúcar

Foi clichê pra caramba,

mas também, o que eu esperava?

Erámos eu e você,

claro que seria meloso,

nós somos praticamente Romeu e Julieta do século XXI.

A diferença é que Shakespeare brincava com o amor deles

e aqui quem brinca com nós,

é o próprio Amor.

Parecemos feitos de açúcar,

tão grudentos.

Chego a ter ânsia só de lembrar das juras.

Se me dissessem alguns meses atrás

como eu me saíria no amor,

eu riría muito e nunca acreditaria,

logo eu, coração de pedra,

faço agora serenatas em plena madrugada.

É surreal pensar agora estou vivendo

num trágico drama françes,

daqueles que dão ênfase aos sentimentos

e nos fazem sentir pena dos desesperados amantes.

Nossa sangria desatada não me preocupa tanto,

porque para minha sorte,

não somos amantes declarados,

só chegamos a um patamar bem próximo de sermos,

mas por enquanto,

ainda somos apenas crianças decobrindo o amor.

 

 

Não é uma tragédia

 

Não é uma tragédia. 

Essas coisas acontecem.

Um jovem adoece no verão;

um senhor é atropelado por um táxi;

a biópsia aponta que o tumor é maligno.

Essas coisas acontecem todos os dias

 e todos os dias saímos de casa achando que jamais acontecerá conosco.

Uma doença leva embora um pai;

o médico comunica um exame preocupante;

uma moto atravessa um sinal fechado.

Todos os dias isso acontece

e todos os dias nossos planos são os mesmos.

Trabalho, almoço, trabalho, jantar

Não acho que seja uma tragédia quando essas coisas acontecem com a gente.

Dizemos: “Que tragédia! Morreu tão cedo!”

Não acho que seja uma tragédia.

Acho que a vida é um amontoado de caos e concidência.

Acho que hoje estamos aqui e amanhã não estamos mais.

Uma tragédia é não agradecer por esse tempinho que estamos aqui.

Uma tragédia é não valorizar a vida em família.

Uma tragédia é trocar o sorriso do nosso filho pelo celular.

Um passeio em família pelas procupações do trabalho.

Uma tragédia é não abraçar as pessoas hoje.

Uma tragédia é passar a vida em branco.

Uma tragédia é achar que um dia vamos ser felizes, não hoje.

Uma tragédia é achar que não vai acontecer com a gente.

E a vida vai ficando pra depois.

Um dia eu mudo de emprego.

Um dia eu digo que gosto dela.

Um dia eu faço uma viagem.

Um dia eu vou ser voluntário nesse projeto.

Acho uma tragédia quando aprendemos a valorizar o que temos só depois de perder.

Acho uma tragédia viver de aparências.

Acho uma tragédia ter comprado coisas achando que isso seria felicidade.

Acho uma tragédia trabalhar em algo que você odeia.

A morte não é uma tragédia.

Tragédia é quando a gente não viveu.

Marcos Piangers

 

 

Sem espécie

 

Uma flor azul cresce em meu jardim,

parece tão falsa por causa da cor,

mas é real,

juro por tudo que já vivi,

eu presenciei aquela flor lutando para nascer.

Não era uma rosa,

porém também tinha espinhos.

Não era um girassol,

porque não tinha a cor dos raios brilhantes.

Não eram amores perfeitos,

pois simplesmente não se assemelhavam a um.

Era feia e desconhecida,

entretanto ali cresceu.

Eu a cuidei

e ela em troca coloriu minhas manhãs nubladas,

com a sua estranha forma e linda cor.

Eu a amo.

Clara Webler