cAoS

cê tava tão linda vestida daquele sorriso de orelha a orelha. teus olhos se apertavam pra encontrar os meus. eu rio. tu é linda, sussuro em teu pescoço. você suspira aliavada ao perceber que era eu quem chegava. conheço teu cheiro. feixes azuis iluminam tuas pintinhas do rosto. vem comigo. não me perde, não se perde no caminho pra mim. eu não quero sair daqui. Vamos gritar pro mundo o que a gente têm de melhor. não. vai. vem. eNtRA. SAi. me aperta . solta. volta. deixa assim. te espero lá fora. cigarro. fumaça. volátilidade. te LiGo. onde cê tá? longe já. vai ser sempre assim? até quando a gente aguentar. vai pra casa cedo nos falamos depois. quando? SILêNCIO.

tudo gira tu foge em frente aos meus olhos teus olhos teus cabelos esvoacantes que merda tá acontecendo eu teamo e não também só quero ter certeza do que eu tenho que fazer pra não te perder todos os dias gasta mais do teu tempo comigo finge que você sente o mesmo finge que não volta pros braços dela todas noites me beija me toca me ama por favor não parte em dois meu coração abRe FecHa apaga a luz esfria a noite e agora sem carinho eu parto sem ter pra onde ir sAi e NãO volta

Anúncios

extremos

Gelo na pele quente

queima.

Não consigo segurar teu coração nas mãos

porque me machuca.

Teu coração é chama que se resfria

e abaixo de zero

me incendeia.

A pele quente, o amor gelado

tu evapora e eu me curo

aos poucos,

temos dois corações dilacerados.

Foge enquanto há tempo,

faz o que o está escrito no teu destino

derrete e some,

me abandona e deixa a marca.

São só as leis da física agindo em nossos corpos,

ação e reação,

sol e lua não podem viver colados,

nem gelo e fogo podem ser namorados.

 

Amor e ódio

Eu te amei mas você me magoou. Agora quero que você parta para longe e nunca mais olhe para trás, aliás, quero que olhe para trás sim, mas só se for pra ver o meu dedo médio erguido na tua direção. Não tens noção de quanto desprezo eu guardo da nossa relação, nem dos momentos bons sou capaz de lembrar, tenho a impressão que esses nunca existiram de verdade, estou cega de ódio e não consigo imaginar que um dia pude ser feliz ao teu lado. Eu falo de ti em cada esquina, não faço nem questão de esconder meu rancor, porque se um dia te amei, eu já esqueci, agora tudo que habita em mim é a raiva e um coração partido.

Eu bato o pé na antipatia, porque fui doce contigo e tivemos um término cruel, talvez se eu for um pouco mais azeda, eu deixe de fazer papel de tola nas minhas futuras relações. Quem sabe um dia eu possa livrar meu peito de toda essa escuridão, ainda tenho esperanças, afinal, já não foi comprovado que amor e ódio nascem e morrem no mesmo lugar? Talvez esse não seja o meu fim mas sim, um novo começo.

 

 

Partirei

De mãos atadas.

Eu sou mais uma.

Permaneço em dúvida,

quitamos nossas dividas e

ainda assim tenho muito o que pagar.

Não gosto que decida minha vida

e odeio mais ainda quando finge que não liga.

Prometo que sairei cedo,

antes mesmo do pôr do sol.

Por que nesse tempo que passei aqui,

só percebi o quão indigna do teu amor eu sou.

Não cumprirei suas expectativas

e acima de tudo não voltarei após a partida,

por isso acostume-se com a solidão.

Clara Webler

 

A última de amor

Cansei-me de escrever sobre amores que partiram

e sobre corações partidos e tudo o que já se quebrou.

Rasguei as folhas do diário que me lembravam vocês,

sim, vocês. Tantos (des)amores que não me servem mais de nada.

Nem mais quero usa-los como história,

ninguém merece ler e sofrer comigo.

Guardei a dor dos anos passados no fundo do baú,

queria ter enterrado e coberto de terra,

mas fiquei com medo de florescer algo meio bruto,

não quero plantar raízes desse tipo de sentimento.

Peço desculpas pelo desuso que os condicionei.

Mas eu felizmente acordei e por uma desventura,

lembrei que não tenho mais tempo pra pensar em vocês,

prefiro agora escrever sobre o que ainda vêm.

Quem sabe assim consiga curar as feridas, depois de tanto remexe-las.

Obrigada pelo o que já me incentivaram a criar,

agora imploro que esvaziem minha mente para que eu possa finalmente enxergar

e neste caso, mudar o foco do Amor para o Amar.

-Clara Webler

Memórias da casa que você deixou

Petulante, insolente e tudo o que mais vier na minha mente, é isso que tu é, um passo à mais que eu nunca deveria ter tido a ousadia de dar. Eu falei para todos meus amigos de bar que me negava a escrever sobre paixões inacabadas novamente, mas aqui estou, isso porquê o cheiro do teu perfume invadiu meu apartamento mais uma vez, sem eu ao menos ter deixado espaços para ele se grudar aqui.

Como se não bastasse, minha casa inteira parece chamar o teu nome, não sei em que terreiro tu fez essa amaração, só sei que meus travesseiros me perguntam a noite inteira quando você vem nos visitar e eu não tenho coragem pra responder sem sentir um maldito aperto no peito.

O dia em que tu bater em minha porta de novo eu vou te deixar entrar, não porque te perdoo, e sim porque por ti eu não devo guardar nem o rancor. E antes que essas palavras que me consomem por agora, se esvaiam, eu quero deixar registrado que a partir de hoje, nem a casa, nem a moradora sentirão saudade das tuas lembranças.

Efeito do orgulho e é feito dele também

Eu observei atentamente ele empurrar a porta de vidro da cafeteria, virar o rosto para os dois lados até encontrar meu olhar, sua boca tremeu e os olhos brilharam, se fora de amor ou de raiva, nunca saberei. Estávamos mais uma vez no mesmo lugar com as mesmas intenções: ver um ao outro sem ter que admitir em voz alta que era o que ansiávamos a todo momento.

Tínhamos brigado fazia mais de um mês e desde então íamos no horário que já nos era costumeiro à cafeteria que nos serviu de ambiente romântico por quase todas sextas-feiras do nosso namoro, pediámos o mesmo café de sempre, sentávamos juntos em mesas separadas e nos reconciliávamos sem trocar uma só palavra.